Follow by Email

Total de visualizações de página

domingo, 4 de setembro de 2011

Cordel no Museu de Favela do Cantagalo



Na  tarde de sábado, 03 de setembro, estive no morro do Cantagalo na inauguração do terraço cultural do Museu de Favela. Entre as apresentações musicais de "Os Companheiros" e Ernani Marones, declamei o cordel de minha autoria " A CHEGADA DE BEZERRA DA SILVA NO CÉU" em homenagem ao sambista e artista popular que morou na comunidade e levava seu nome em muitos sambas que interpretava.
No terraço do MUF, observando a paisagem natural do Rio de Janeiro e a movimentação do morro, me veio a inspiração para fazer esta pequena homenagem que terminei de escrever agora, domingo de manhã:

MUSEU DE FAVELA
Autor: Victor Alvim "Lobisomem"
Bem do alto do morro eu posso ver
A mais viva galeria de arte
A natureza está por toda parte
E é moldura que faz engrandecer
A beleza do povo e seu viver
Contemplando uma bela exposição
Entre o céu e a sua imensidão
O horizonte riscando sobre o mar
Que reflete o sol quente a brilhar
Ou a lua em meio a escuridão

Lá no alto o vôo da passarada
E o Cristo Redentor no Corcovado
Vejo o Arpoador do outro lado
E embaixo o campinho da pelada
A algazarra de toda a criançada
E as pipas dançando pelo ar
Parecendo que podem escutar
Os acordes de um samba no quintal
E as roupas balançando no varal
No batuque também querem sambar


A favela é a nossa galeria
Nosso povo a mais bela obra prima
Que avistamos melhor aqui de cima
E entre beco, ladeira e escadaria
Cada laje é suor e alegria
Todo dia uma luta, uma vitória
E todo morador tem na memória
Um museu e por isso é que eu falo
No Museu de Favela, o Cantagalo
É que escreve a sua própria história